Company Logo

Não dê restos de comida para seu cão!


Não dê restos de comida para seu cão!

  1. Essa é a maior causa da obesidade.
  2. Cria hábitos alimentares indesejados.
  3. Pode causar pancreatite e distúrbios gastrintestinais.


Se for necessária uma mudança de alimentação, acostume o animal aos poucos.

 

  1. É uma maneira de prevenir distúrbios gastrintestinais provocados pela alteração de ingredientes.
  2. Misture a ração nova com a antiga.


Vá aumentando gradualmente a quantidade de nova e diminuindo a da antiga. Realize a substituição em três dias.  Deixe sempre à vista um ou mais bebedouros com água fresca.

        

  1. O ideal é utilizar água filtrada ou mineral.
  2. Troque a água ao menos uma vez por dia.


Lave muito bem o comedouro e o bebedouro pelo menos uma vez por, semana.


Nunca ofereça ossos naturais a seu cão.

  1. Há risco de que se despedacem, perfurando ou obstruindo a boca e o trato digestivo.
  2. Ossos de porco e de ave são especialmente perigosos.
  3. Ossos de boi podem também transmitir doenças.
  4. Em geral provocam desequilíbrio alimentar, por acrescentar à dieta excesso de minerais.
  5. Bastões em forma de osso, feitos de couro cru e mastigáveis, são ideais.
  6. Ajudem seu cão a mastigar e a transformar o "alimento" em pequenos pedaços antes de engolir.
  7. Pequenos pedaços de couro raramente afetam o trato digestivo.

 

 

 

Nutrição Como e Quando Alimentar

Nutrição Como e Quando Alimentar

A boa nutrição garante um sistema imunológico resistente, altos índices de energia e, portanto, um animal saudável.

 

Os alimentos industrializados podem ser secos, semiúmidos ou úmidos.


a) A ração seca normalmente custa menos e tem maior prazo de validade.


b) Os alimentos semiúmidos e úmidos são mais palatáveis e fáceis de mastigar.


- São os mais indicados para cães idosos que sofrem de doença periodontal ou diminuição do faro e paladar.


- São úteis para desmamar filhotes com menos de 8 semanas de vida.


c) Siga as quantidades diárias de alimento recomendadas pelo fabricante na embalagem.

 

Em geral, indicam-se:


- para filhotes de até 6 meses de idade, três ou quatro refeições por dia;


- para filhotes mais velhos e cães adultos, duas refeições por dia.


O mercado oferece ótimos produtos alimentares. O melhor é pedir uma recomendação ao veterinário quanto à marca e ao tipo de ração.


Escolha a ração mais balanceada e completa do ponto de vista nutricional levando em conta a idade, as condições de saúde e o nível de atividade do animal.



a) Filhotes (até 12 meses) necessitam de ração com maior teor de gordura, proteína, minerais e energia, para garantir o crescimento e o desenvolvimento musculoesquelético adequados. As rações para cães cuja embalagem indica "para filhotes" em geral atendem a essa exigência.



b) Cães ativos precisam de 35 a 45% a mais de calorias do que os sedentários.

c) Cães com mais de 08 anos de idade devem ingerir alimentos menos calóricos e com maior teor de fibras. Os produtos cuja embalagem indica "para sênior" seguem esses critérios.

 

Unhas saudáveis?

É muito importante criar o hábito de checar os pés e as unhas de seu filhote regularmente — isso não só lhe ajudará a encontrar qualquer área de lesão ou corpo estranho entre os dedos, mas também lhe permitirá verificar se as unhas não estão ficando muito compridas. Se elas estiverem compridas, talvez você queira aprender como cortá-las em casa.

Os cães possuem 5 unhas em cada pata dianteira, incluindo um dedo de lobo — o equivalente ao polegar do ser humano, localizado um pouco mais acima na face interna do membro. Em geral, existem 4 unhas em cada pata traseira, embora alguns cães também possuam o dedo de lobo em uma ou ambas as patas traseiras.

Semelhantemente às nossas unhas, as unhas caninas crescem de forma contínua, mas muitos cães as desgastam naturalmente durante suas atividades diárias. Se isso não acontecer, será necessário garantir que elas sejam aparadas regularmente — o crescimento excessivo das unhas pode tornar a caminhada desconfortável e ainda elas podem se enroscar e quebrar com facilidade, resultando muitas vezes em feridas dolorosas ou infecções.


As unhas de seu cão não devem ultrapassar o limite da base das patas. Se você ouvir um estalido no chão conforme seu cão caminha, as unhas provavelmente estarão muito compridas. Os profissionais de tosa ou os veterinários e enfermeiros são pessoas capacitadas a aparar as unhas de seu cão; no entanto, se houver a necessidade de apará-las com frequência, talvez você tenha de solicitar a demonstração do procedimento a esses profissionais para efetuá-lo em casa. Na maioria dos casos, o método é fácil de aprender e completamente indolor, contanto que você utilize os cortadores corretos e não corte muito! Escolha um cortador próprio para cães e apropriado para o porte de seu animal – peça ajuda se houver dúvidas.

Muitos cães ficarão felizes em sentar ou repousar com suas unhas cortadas, mas quanto mais cedo você acostumá-los à manipulação de seus pés, melhor. Caso contrário, você terá de pedir para alguém mantê-los imóveis. Apare a unha na altura da base da pata — ou seja, a superfície plana que entra em contato com o chão. Se as unhas forem brancas, você conseguirá visualizar um “trajeto” rosado que corresponde à irrigação sanguínea. É importante manter seu corte na área branca e evitar o corte do trajeto rosado, pois isso causará dor e sangramento. Se isso acontecer, pressione o local com um chumaço ou compressa de algodão limpo e umedecido para estancar a hemorragia. Se as unhas de seu cão forem pretas, você não conseguirá ver a irrigação sanguínea; nesse cão,  nesse caso – remova apenas a ponta da unha que esteja ultrapassando o limite da base da pata.

O corte das unhas de seu cão costuma ser um procedimento rápido e simples. No entanto, não será nada divertido se você se estressar em fazer algo errado; assim, não hesite em pedir ajuda ao tosador ou ao veterinário.

 

 

Cuidados com os Dentes !

 

Nem todo dono sabe, mas cachorros que não possuem dentes devidamente tratados correm maior risco de contrair doenças como debilidade física, gengivite e infecções crônicas, que podem causar muita dor ao animal.

 

Assim como acontece com as pessoas, é importante manter uma rotina de higiene para tratar da dentição do cachorro, levando-o constantemente ao veterinário para avaliações em sua arcada e tratando de seus dentes com produtos como pasta dental e escovas especiais.

Não existe uma periodicidade específica para escovar os dentes de seu cão, mas o ideal é executar a limpeza diariamente após uma refeição. De acordo com os especialistas, o dono que escovar os dentes de seu cachorro três vezes por semana já está fazendo um bom serviço à saúde do animal.

 

Muitos deles podem não gostar deste tipo de limpeza, por isso é importante que o dono transforme as escovações em um hábito desde o primeiro ano de vida do animal. Antes disso as gengivas do cão ainda são muito sensíveis, e quando escovadas podem provocar muita dor e associar a escovação a algo ruim.

 

Fique atento aos produtos utilizados, evitando pastas de dente para pessoas e dando preferência àquelas desenvolvidas pelo segmento canino e encontradas facilmente em qualquer pet shop. Como os cães não cospem, acabam engolindo praticamente todo o produto e, no caso dos usados pelas pessoas, sua composição pode fazer mal ao bichinho.

 

Entre as raças com maior pré-disposição ao acúmulo de tártaro destacam-se as de pequeno porte como yorkshire, poodle e pinscher. Por terem pouco espaço na boca, esses pequenos cães acabam criando mais condições a este tipo de problema, ao contrário dos cachorros grandes como rottweiler e o dogue alemão.

 

Sub-categorias

Rede Social D'Lamorim

FacebookPinterest

Promoções

Instagram



Contribute!
Books!
Shop!